Dono de uma das vozes mais marcantes no cenário musical brasiliense, Alysson Takaki é sinônimo de música de qualidade nos palcos onde pisa. Seja como compositor, intérprete ou professor de canto, sua atuação é sempre digna de reconhecimento. Nascido em Brasília no dia 03 de agosto de 1974, graduou-se em Comunicação Social pelo UniCEUB e Música pela Universidade de Brasília.

Sua estréia nos palcos aconteceu aos 16 anos quando participou de um festival de música na escola de inglês em que estudava. Ao interpretar Femme Fatale (Lou Reed) e Imagine (John Lennon) conquistou mais do que o 3º lugar no concurso; a convicção de que cantar era uma necessidade e que a timidez não o impediria de subir ao palco. Desde então, começou a tomar aulas de técnica vocal com o maestro Marconi Araújo e, posteriormente, com a professora Cláudia Costa.

No início dos anos 90 conquistou diversos prêmios interpretanto músicas japonesas nos tradicionais concursos de karaokê existentes à época.  Viajou Brasil à fora representando sua cidade naqueles concursos e, graças ao título de Campeão Panamericano da Canção Japonesa conquistado em São Paulo no ano de 1994, foi convidado a apresentar-se em festivais internacionais realizados no Perú e Havaí no ano seguinte.

Na Unversidade de Brasília foi aluno de Irene Bentle e participou, como solista, das montagens da Opereta Il Matrimonio Segreto de Cimarosa,  Jesus Christ Superstar de Andrew Lloyd Webber e atuou no coro da Ópera Madame Butterfly. Ao mesmo tempo em que atuava em corais, experimentava a ópera, o teatro musical desenvolvia também seu trabalho com a música popular. Com o duo de violão & voz intitulado Seleção Brasileira apresentou-se por diversos bares e teatros da cidade interpretando canções dos grandes craques da nossa música popular.

No ano de 2002 aceitou o convite para ser vocalista da Joy Band na qual permaneceu até o ano de 2010 cumprindo uma agenda de mais de 100 shows anuais e ajudando a torná-la uma das bandas de baile mais requisitadas na capital federal.

Desde 2005 é professor do Curso de Canto Popular da Escola de Música de Brasília, escola técnica pertencente à rede pública de ensino, sendo mantida pela Secretaria de Educação do Distrito Federal, SEDF, onde atua na preparação e formação de cantores profissionais.

Lançou seu primeiro disco solo com composições autorais no ano de 2006, No seu mundo, com produção assinada por Mauro Souza e em 2010 lançou o álbum Querer sem fim com a produção de Larissa Vitorino. Em 2014 lançou seu primeiro DVD, intitulado Sobre Viver Cantando.

Sua obra é resultado de uma experimentação e musicalidade plural, desenvolvida longe de preconceitos. Desde a infância habituou-se a ouvir de música erudita a hits radiofônicos com o mesmo fascínio, no entanto, os mineiros do Clube da Esquina, a música negra norte-americana e o rock dos anos 80 são influências marcantes em suas composições. O cuidado com a poesia das letras, o delineamento melódico que valoriza a expressão do canto são seus pontos fortes que, aliados ao timbre de voz inconfundível, garantem ao artista um lugar de destaque na produção musical brasileira da atualidade.